quinta-feira, 11 de junho de 2015

mensagem



sexta-feira, 19h, numa ida às compras e presa no trânsito, agarro o telemóvel e mando uma mensagem ao meu pai. não era dia do pai, não era dia de aniversário, era apenas mais uma sexta-feira. eu em Lisboa e o meu pai em São Jorge. e a mensagem seguiu curta e muito simples. 
"Amo-te muito, pai. tenho muitas saudades." 

passado 15 minutos, recebo a resposta:

"Olá filha
A saudade nem sempre é dor
Mas é sempre, sempre 
Amor
Nada, nada preenche a Vossa 
Ausência"
"Ligo mais tarde, estou em reunião".


Obrigada por tudo. és o meu orgulho, por tudo o que és, por tudo o que defendes, lutas todos os dias e por tudo o que nos ensinas. 





Sem comentários: